Reprodução

13-11-2010 18:20

 

Há um tempo atrás, foi criado o Manual de reprodução do hamster sírio. Um recurso utilíssimo para quem pretende criar hamsters, por amor ou dinheiro, ou mesmo àqueles que tiveram a surpresa de encontrar sua hamster com filhotinhos.
Desde então, esse manual esteve disponível para download no site. Como, além desse manual, não havia outro material sobre reprodução no site, foi resolvido aprimorar seu conteúdo e publicá-lo aqui.
Aprecie - e qualquer dúvida, escreva. E é melhor avisar: todo o conteúdo desse manual foi escrito por Andrei Carlos Nuernberg, o criador de O mundo dos hamsters. PUBLICAR ESSE MATERIAL SEM AUTORIZAÇÃO, PARCIALMENTE OU EM SUA TOTALIDADE, FICA ABSOLUTAMENTE PROIBIDO.

1. O INÍCIO
1.1. A hora certa
1.2. A gaiola
1.3. Como proceder
1.4. Deu certo?
2. A GRAVIDEZ
2.1. Dieta reforçada
2.2. Cuidados especiais
2.3. Às vésperas

3. O NASCIMENTO

4. A AMAMENTAÇÃO
4.1. Dieta especial
4.2. Desenvolvimento
4.3. Cuidados
5. A DESPEDIDA
5.1. A hora certa
5.2. Vender para quem?

6. NINGUÉM É DE FERRO
6.1. "Dê-me um tempo!"
6.2. Saiba a hora de parar

 

O início

 

1.1 - A hora certa
É a primeira questão. Qual é a idade certa para uma hamster ter seus primeiros filhotes? As hamsters estão biologicamente aptas a procriar logo entre a terceira e a sexta semana. Mas, assim como uma menina de 12 anos não deve engravidar, ainda que seu organismo já produza óvulos, a hamster também não está forte o suficiente para ficar grávida. Gravidez prematura interrompe o crescimento da mãe e resulta em crias débeis. É melhor esperar.
A fim de preservar a saúde do bichinho, pode-se chegar à seguinte convenção: 4-6 meses para a primeira gravidez. A segunda e a terceira no intervalo entre 6-14 meses. É necessário atentar ao fato de que a primeira gravidez não pode acontecer depois dos 6 meses, devido a possíveis complicações no parto. Mais informações sobre esse assunto, no capítulo 6.

1.2 - A gaiola
A hamster não pode ser alojada em um lugar qualquer para dar à luz. Muitas gaiolas oferecem perigos mortais para os filhotes. Portanto, é indispensável prestar bastante atenção nesses detalhes, que muitas vezes passam despercebidos aos criadores.
Um aquário é bastante propício para o nascimento. Não apresenta aberturas laterais para os filhotes caírem (o que é muito trágico) e está protegido de correntes de ar danosas. Se, especialmente por razões econômicas, não for possível providenciar um aquário, uma gaiola de arames, desde que tomadas certas precauções, também pode ser um ótimo berçário.
A primeira coisa a se observar na gaiola convencional de arame é se ela possui proteção lateral que impede os filhotes de escaparem inadvertidamente. Isso é importante. Se o filhote cair e você tentar colocá-lo de volta, a fêmea poderá notar uma alteração no cheiro do filhote e passar a ignorá-lo: e o pequenino é, assim, condenado à morte. Visto isso, e igualmente importante, é ter a certeza de que não é possível que os filhotes fiquem presos entre as grades da base da gaiola. Mesmo que a hamster tenha um ninho, ela pode dar à luz os filhotes em qualquer parte da gaiola. Se você achar que os filhotinhos poderão ficar preso entre as grades (e lembre-se de que eles são bem pequenos), forre a base da gaiola com papelão, e coloque um pouco de serragem sobre essa proteção.
Lembre-se, em qualquer caso, de retirar a roda de exercícios. Dê bastante papel higiênico para a hamster fazer seu ninho e deixe o resto por conta dela.

1.3 - Como proceder
Vamos relatar agora, em algumas linhas, sobre como proceder quanto à cópula (que palavra bonita). A hamster tem seu período fértil aproximadamente de 4 em 4 dias. Então são boas as possibilidades de você juntar os hamsters num dia propício. Além disso, a hamster exala um cheiro forte (especialmente forte no verão) quando está no cio. Durante o inverno, contudo, o animal pode vir a interromper este ciclo. Criadores em larga escala usam lâmpadas ligadas 12 horas por dia para simular o verão, de dias mais longos.
O criador pode escolher entre dois caminhos, por mim conhecidos:
A) passar a hamster fêmea para a gaiola do hamster macho, e nunca vice-versa (se não ela o ataca, uma baixaria). Deixe-os lá por algum tempo, uns 20 minutos. Caso eles não briguem, naturalmente. Se calhar de eles não se interessarem, tente outra vez, outro dia. Depois de novo. Quem sabe de novo. Se mesmo assim nunca der certo, não me peça ajuda, porque meus conhecimentos ficam aquém do preciso para entender a complexa psicologia destes animais. Raramente, o macho pode mostrar um desinteresse pela fêmea, ou esta pode ficar impaciente (especialmente se o macho for inexperiente e não souber o que e como fazer). Rapidinha: não esqueça, em casos extremos, de verificar se são de sexos opostos.
B) pode-se deixá-los à vontade na grama, numa caixa ou num outro território neutro. Fique de olho neles o tempo todo. Em caso de briga, proceda como já elucidado no item A.
Para o caso de brigar, é prudente luvas ou algum outro objeto para separar os dois.
Normalmente, o macho começa a cheirar a fêmea. Ela, se estiver a fim, vai "congelar". Se o macho for virgem, ele talvez terá dificuldades em saber como proceder. Caso a fêmea tenha um pouco de paciência, ele logo vai descobrir como agir. Depois disso, vocês devem saber o que acontece...

1.4 - Deu certo?
Você seguiu essas dicas, fez tudo exatamente como explicado. Certamente, dentro de 16 dias sua hamster terá filhotes. Certo? Seria bom se a Biologia fosse assim, tão lógica.
Já li casos de hamster inférteis. Mas asseguro que não é algo exatamente comum.
Na minha opinião, o melhor é esperar. Dentro de uns 10 dias, a hamster vai ficar gOrda e suas mamas ficarão proeminentes. Confere? Rumo ao capítulo 2: A GRAVIDEZ.

 

A gravidez

 

2.1 - Dieta
O número de filhotes está relacionado a fatores como idade e saúde da hamster. E para que eles não sejam apenas muitos, mas também saudáveis, a futura mãe precisa receber uma dieta reforçada.
A dieta em questão pode ser ministrada logo a partir do dia seguinte ao da cópula. Confere ao animal uma série de nutrientes sumamente importantes.
Não se trata de uma dieta substituta. E sim complementar. Você continuará dando o que sempre deu, e mais: a) ovo cozido: nem muito mole, nem muito duro. Metade dele está bom, mesmo assim ela não vai agüentar comer tudo, b) pão molhado ao leite: de preferência só o miolo, com leite morno, c) ração de gato, bastante nutritiva (sabor peixe). Misture à ração própria do hamster, à proporção 1:1.

2.2 - Cuidados especiais
A) Deixe-a em paz. Não a leve para passear, não brinque com ela, não a incomode (especialmente na última semana)
B) Não deixe faltar comida. Mas também não dê demais.

2.3 - Às vésperas
A gestação do hamster sírio dura 16 dias, mas pode acontecer de a hamster dar à luz no 17º ou mesmo 18º dia de gestação. Se depois de dezoito dias os filhotes não tiverem nascido, embora a hamster apresente os sinais de gravidez (abdômen e tetas proeminentes), pode ser uma indicação de gravidez "psicológica" ("phantom pregnancy") ou problemas durante o parto. De modo geral, os filhotes são reabsorvidos (!) sem danos à mãe.
Alguns cuidados devem ser tomados: dois dias antes do esperado para o parto, faça um super limpeza na gaiola. Lave todos os potes de comida, água e acessórios. E retire a rodinha.
Tomados esses pequenos cuidados e feita a limpeza geral na gaiola, dê bastante material para a hamster fazer o ninho. Papel higiênico (sem perfume) é ótimo para isso.

Tudo a postos, a natureza toma conta do resto e dá início a um grande e emocionante espetáculo: O NASCIMENTO. 

 

O nascimento

 

 Você foi um criador dedicado. Esforçou-se muito para que a hamster ficasse grávida. Seguiu as dicas desse manual, deu a dieta reforçada, fez a limpeza geral, lhe deu papel higiênico para ela construir o ninho.

Agora finalmente os filhotes estão chegando! E você espera ansioso pela sua vinda. Fica vigiando a hamster durante seu iminente parto. Tenta acompanhar cada minuto, não quer perder nenhum detalhe. Os filhotes estão chegando, lá vêm...

Calma, deixe a pequenina em paz. O nascimento dos filhotes é um momento mais que emocionante e memorável para o criador, mas não vale a pena ficar incomodando. Seria só mais um fator para a hamster se estressar. Façamos uma analogia: se uma mulher sofre para dar à luz o filho, mesmo que seja só um, mesmo que com o auxílio de um tocólogo, imagine a hamster, sozinha, tendo 4, 5, 6, 7, 8 (ou até 17, já houve casos) filhos para vir ao mundo!

Cada filhote nascerá com um intervalo de 10 minutos. Junto de cada um, normalmente vem uma placenta, que a hamster come, por ser absolutamente nutritiva (hum...). É por causa disso, da placenta, que talvez o papel higiênico fique manchado de sangue. É normal. E talvez a mãe resolva fazer um tour pela gaiola, e tenha um filhote em cada canto. Não se intrometa! A mãe levará todos para o ninho.

Depois de ter botado tudo pra fora, a hamster passa por um processo curioso: leva para o ninho tudo o que tem cara e cheiro de comida. Se você encher os potes 8 vezes durante o dia, ela vai levar tudo. Formam-se montanhas de comida, que vão começar a apodrecer. O correto, então, seria só voltar a colocar comida quando o "reservatório" estiver quase se esgotando.

Próxima parte, não menos extraordinária: A AMAMENTAÇÃO.

 

A amamentação

4.1 Dieta especial

É necessário dar continuidade à mesma dieta ministrada durante a gestação, para prover à mãe os nutrientes necessários. Aumente também a quantidade de vegetais, para ajudar a produção de leite.

4.2 Desenvolvimento
Caso o leitor não tenha se dado conta, esse manual toma como base o hamster sírio. Isso não significa absolutamente que não se possa usar esse conteúdo como base para reproduzir outras espécies, mas para não fazer besteira nesses casos, recomenda-se recorrer a outras fontes (veja FONTES CONSULTADAS).
Abaixo segue uma tabela mostrando as etapas do desenvolvimento dos filhotes:

Tempo (aprox.) Desenvolvimento
1 dia Os filhotes nascem cegos, surdos, com a pele transparente e sem pêlos mas com dentes. Pesam 3 gramas
3 dias Antes transparente, a pele começa a pigmentar
6 dias A pele já está toda coberta por pêlos bastante ralos
7 dias Já começam a comer pequenas quantidades (uma lindeza de se ver)
12 dias Os pequeninos começam a passear pela gaiola*
16 dias Eles já estão com os olhos abertos e passeiam livremente pela gaiola
21 dias Eles são independentes e mamam com menor intensidade (embora possam já viver sem o leite materno)
21-28 dias Já podem ser vendidos (que frieza)

(*) Aos 12 dias, os hamsters começam a fazer suas excursões. Mas ainda têm os olhos fechados. Contudo, a mamãe orgulhosa, ciumenta e possessiva não o permite! Faz questão de levar todos os bebês andarilhos de volta ao ninho. Muitas cenas cômicas surgem. Às vezes, os filhotes resolvem se rebelar e vão um para cada lado. A mãe, desesperada, tenta trazê-los de volta. É hilário. Leva um, busca outro, e esse um foge. E aí vai. Até que todos se acalmem e a paz retorne ao lar.
Qualquer discrepância com os dados desta tabela não é motivo para alarme. A não ser grandes variações, como, por exemplos, os filhotes chegarem ao 30º dia sem ter nascido os pêlos. Nesse caso, verifique se eles não estão mortos (desculpem a piada macabra, mas não me contive. Na verdade, ela não faz sentido porque a hamster não deixaria os filhotes apodrecendo. Se eles morrerem, ela os comerá).

4.3 Cuidados
Eu até poderia citar aqui alguns cuidados necessário com a criação. Mas só digo que não se pode trocar a serragem (ou "maravalha") até quando os filhotes abram os olhos (uns 15 dias após o nascimento). É bastante óbvio que, a essa altura, os odores exalados não sejam dos mais agradáveis.
Quanto ao resto, o espírito intuitivo do criador já deve estar apurado o suficiente para saber o que fazer. :)

A última etapa: A DESPEDIDA

 

A despedida

5.1 A hora certa
Quando os filhotes completarem 28 dias (mas pode ser até com 21), retire-os da gaiola da mãe, separando-os em duas gaiolas, pelo sexo. Tal medida é necessária, haja vista a possibilidade de uma gravidez prematura (as fêmeas podem engravidar com 3-6 semanas e os machos com 5).
Mas não tente extrapolar as 4 semanas. Depois dessa idade os filhotes estão completamente independentes e a mãe começa a agredi-los.

5.2 Vender para quem?
Antes de pensar em começar uma criação, é bom ter em mente que a ninhada poderá ser assaz numerosa. É sempre bom saber de antemão quem estará disposto a comprar os filhotes. Sem planejamento, talvez seja difícil se desfazer (um tanto a contragosto) dos filhotes.
Sem querer desanimar ninguém, eu particularmente acho inviável ter uma criação de hamster como fonte de renda. Pelo menos em pequena escala, como sempre foi meu caso. Mas já fiquei sabendo de histórias de gente que consegue faturar em torno de R$ 100 mensais com criação de hamster.
Aqui na minha cidade, as lojas vendem hamsters sírio por R$ 6, em média. O criador, calculo, deve ganhar por cada um R$ 4, no máximo.

Os filhotes já estão vendidos. E a hamster já está livre para procriar, certo? Mas não esqueça que NINGUÉM É DE FERRO.

Ninguém é de ferro

6.1 Dê-me um tempo
Já foi dito que a primeira gestação deve acontecer entre 4 e 6 meses de idade. Para uma segunda gestação, é necessário esperar um período de 4 meses, contados a partir do dia em que a hamster deu à luz.
Hipoteticamente, digamos que a hamster teve filhotes aos 5 meses. Aos nove, ela poderá ficar grávida novamente. E, depois, aos treze. O detalhe: as hamsters ficam inférteis entre 12 e 14 meses, isto é, talvez uma terceira gravidez seja impossível de se suceder.

6.2 Saiba a hora de parar
Você, indo de encontro às minhas sugestões, resolve que sua hamster deve ficar grávida pela quarta vez. Deduz-se que o prazo de 3-4 meses entre uma e outra gravidez não foi respeitado. Prepare-se para isso, então.
Nos meus tempos de ignorância sobre a natureza dos hamsters, minha hamster teve sim uma quarta gestação (bip). Não havia respeitado o tempo de descanso (bip). Era porque eu mantinha o macho e a fêmea na mesma gaiola (bip). Nas três primeiras vezes, não fui aquilo que se possa chamar diligente (bip). Somente na quarta vez tomei ciência dos cuidados necessários para com a hamster grávida...
Quando os filhotes já estavam na segunda semana, reparei em uma noite que a hamster sangrava. Alarme! Sangrava e sangrava, copiosamente. Não vou descrever em detalhes o que se sucedeu, mas não houve muito o que se fazer. Ela morreu. Os filhotes, eis a boa notícia, sobreviveram.

E esse é o motivo pelo qual só escrevo sobre os hamsters sírios: foram os únicos com os quais tive contato. Seria fácil ler sobre coisas de outras espécies e escrever, com pompa de experiente, mas tento sempre colocar uma dose de personalidade naquilo que escrevo. Tudo ao longo deste manual não são apenas incursões. São experiências próprias, inclusive os erros cometidos (e que espero ninguém os repita).
Agradeço muito pela atenção dos leitores que chegaram até aqui. Desejo muita sorte na criação. 

 

 

 

observações :

nao epreciso vc vender seus hamsters .basta vc ter uma giola grande e lembrar sempre q a sua cria vai gerar outras crias

 

 

 


visite tambem minha comunidade no orkut . http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=108253027